Pular para o conteúdo

Gupy compra Kenoby buscando consolidação no setor de HR Techs

4 de março de 2022
Publicado por 3Capital Partners

O setor das startups de recrutamento e seleção, conhecidas como HR Techs, recebeu uma notícia de impacto no mês de fevereiro. A Gupy anunciou a aquisição de sua principal concorrente, a Kenoby. 

 

Em nota, Mariana Dias, CEO e cofundadora da Gupy, afirmou que a movimentação é um passo importante para a consolidação da empresa como líder do setor. “A Kenoby teve um papel muito importante no ecossistema de HR Techs e se tornou um dos maiores ATS (Applicant Tracking System) do país, ajudando a gerar cerca de 500 mil contratações desde a sua fundação com um time e uma cultura muito fortes”, afirmou a empreendedora.

 

Por que uma empresa compra outra?

 

Empresas compram outras por várias razões. A companhia pode buscar economia de escala, diversificação de seu portfólio de produtos ou serviços, redução de custos, entrada em um novo nicho ou aumento de sua participação no mercado. A Gupy, por exemplo, como informou Mariana Dias, que busca consolidação no setor das HR Techs.

 

A aquisição da Kenoby, aliás, foi a segunda da Gupy em apenas quatro meses. Em outubro de 2021, a empresa adquiriu a Niduu, uma startup de educação corporativa com sede no estado do Maranhão. “Com a pandemia, vimos uma grande tendência entre as empresas na busca por aumentar tanto a densidade de talento, como a requalificação de seus funcionários, e por isso, com a aquisição da startup Niduu em 2021, demos mais um passo para avançar na cadeia do RH e passamos a oferecer o serviço de treinamento e desenvolvimento de colaboradores”, explicou Mariana Dias.

 

Segundo informou a empresa em nota, com essas aquisições, “a Gupy avança com sua estratégia de expansão, posicionando-se como a startup líder em soluções tecnológicas voltadas ao RH, agora somando mais de 2.300 clientes, 36 milhões de usuários, e rumo à marca de 80 mil vagas publicadas por mês”.

 

A compra da Kenoby une duas grandes startups do setor de recrutamento, ampliando o portfólio da Gupy de soluções inovadoras voltadas a recrutamento e seleção, admissão, treinamento e desenvolvimento.  “A Kenoby tem um time muito talentoso, além de uma cultura que tem como um dos pilares a diversidade, assim como a Gupy”, disse Mariana Dias. “Estamos muito felizes com a oportunidade de expandir nosso impacto por meio de pessoas que buscam o mesmo propósito que nós.”

 

A empreendedora reforça que Gupy e Kenoby já ajudaram mais de 1,2 milhão de pessoas a serem contratadas. 

 

Mais aquisições?

Não dá para dizer que a Gupy encerrou suas aquisições. “Estamos sempre olhando para as tendências do futuro do trabalho, e temos um grande desafio: de um lado, precisamos melhorar a experiência das pessoas candidatas nos processos seletivos e, uma vez que forem empregadas, ajudá-las a se desenvolver através do aprendizado contínuo ou a se requalificar. Por outro lado, precisamos continuar inovando e oferecendo mais soluções para os RHs das empresas, além de ajudá-los a utilizar melhor as tecnologias disponíveis, para entregarmos uma experiência melhor para as pessoas candidatas e funcionárias. Estamos unindo forças neste grande propósito que é melhorar a empregabilidade no Brasil”, disse a CEO e cofundadora da Gupy.

 

A aquisição da Kenoby foi viabilizada após um aporte de R$ 500 milhões recebido pela Gupy e anunciado em janeiro deste ano. A rodada foi liderada pelos fundos SoftBank Latin America e Riverwood, com a participação da Endeavor Catalyst e acompanhada por Oria Capital e Maya Capital, que já haviam investido na startup. O aporte foi o maior já recebido por uma plataforma tecnológica de RH na América Latina e o mais robusto investimento já registrado por uma startup brasileira fundada por mulheres. A rodada chegou pouco mais de um ano após o aporte anterior, recebido pela Gupy em 2020, e três meses após o primeiro M&A da startup – a aquisição da Niduu. 

 

Fundada em 2015 por Mariana Dias, juntamente com Bruna Guimarães, Guilherme Dias e Robson Ventura, a Gupy foi pioneira no uso de inteligência artificial aplicada ao recrutamento e seleção. Há dois anos iniciou sua expansão para oferecer soluções digitais inteligentes para outras áreas do RH, como admissão e desenvolvimento de colaboradores. Com clientes em mais de 10 países na América Latina, entre eles grandes companhias como Ambev, Vivo, GPA e Santander, a startup tem crescido mais de 100% todos os anos.

 

O ecossistema brasileiro das HR Techs recebeu investimentos de US$ 3,4 bilhões nos últimos 20 anos, segundo o Distrito HRTech Report 2021. Na pandemia, em particular, essas startups vivenciaram um crescimento expressivo, indica o relatório, mostrando que cenários complexos e mudanças aceleradas exigem mais do capital humano. O documento da Distrito ainda conclui que as mudanças aceleradas pelo atual contexto social e econômico vieram mesmo para ficar. “Os mercados de trabalho e investimentos já entenderam a importância de valorizar o fator humano de sua força de trabalho e da importância de serem suportados por tecnologia e pessoas capacitadas no novo contexto que surge.”



Veja outras notícias