Pular para o conteúdo

Você sabe qual é a principal diferença entre fusão e aquisição?

6 de abril de 2023
Publicado por 3Capital Partners

Apesar de pertencerem a um mesmo universo e de estarem diretamente ligadas quando se trata de duas empresas que pretendem unificar suas operações, os termos fusão e aquisição possuem diferenças específicas que devem ser consideradas dentro da estratégia de expansão das companhias.

 

Ao entender que uma operação de M&A é o caminho ideal para um negócio dar o próximo passo no seu plano de crescimento, é válido compreender as nuances que envolvem essas duas pontas do processo e verificar qual a mais indicada. A leitura deste artigo pode ajudar nesta decisão. 

Fusão: quando duas empresas se tornam uma só.

Antes de entrar mais especificamente nas questões que diferem uma fusão de uma aquisição, precisamos retornar ao princípio básico e compreender o significado desses termos que se encontram tão presentes na vida de grandes organizações.

 

Quando duas empresas entendem que a via de crescimento e expansão mais acertada é que as companhias se juntem para conceber uma nova, acontece o que chamamos de fusão.

 

As razões que levam a essa união possuem fatores e motivações que podem estar ligados à necessidade de arregimentar mais produtos ou serviços ao portfólio, ampliar a aderência mercadológica ou, até mesmo, para estratégias de negócio momentâneas, como o lançamento de uma ação pontual com características sazonais. 

 

As fusões são divididas entre horizontal e vertical. A primeira, ocorre quando as duas empresas que realizam a operação de M&A são pertencentes a um mesmo nicho de mercado. No segundo caso, as companhias transacionadas até se encontram em um segmento em comum, mas com linhas produtivas distintas. Por exemplo: uma fábrica de roupas que se junta à outra de sapatos e geram uma nova grande indústria contemplando essas duas frentes, com atuação mais ampla.

 

Há ainda, a fusão congenérica, na qual negócios de um mesmo segmento, mas com oferta de produtos diferentes, se unem e, finalmente, os conglomerados, que formam grupos empresariais a partir da junção de organizações sem qualquer similaridade naquilo que oferecem, mas com o objetivo semelhante de aumentar seus alcances mercadológicos.

 

Aquisição: quando uma empresa realiza a compra de outra.

 

Como o próprio nome já diz, é classificada como aquisição uma operação caracterizada pela compra total ou parcial das ações de uma empresa por outra, contanto que a organização adquirente fiquei com mais de 50% da fatia desse bolo e passe a controlar as decisões diretivas.

 

É bastante comum, por exemplo, que um negócio com um aporte de capital maior e melhor posicionado no mercado adquira outro menos robusto do ponto de vista financeiro e que ainda não tenha alcançado o crescimento desejado.

 

Aquele mercadinho que tem no seu bairro e, aos poucos, foi crescendo e ganhando um reconhecimento local, pode atrair os olhares de um grande grupo varejista, por exemplo, que decide comprar a maioria das suas cotas acionárias e trazer uma nova perspectiva de expansão para aquele estabelecimento.

 

Outra situação que costuma desenhar um cenário para que uma aquisição aconteça é quando uma determinada companhia se encontra passando por sérias dificuldades financeiras e enxerga numa possível venda a saída para que os prejuízos sejam sanados sem que a empresa precise deixar de funcionar.

 

Mesmo após a consolidação da negociação, os antigos donos podem continuar fazendo parte do quadro societário da organização, entretanto, se suas participações forem minoritárias, a palavra final das decisões estratégicas e empresariais caberá a quem a adquiriu, assim como a condução de todos os processos operacionais.

 

Uma aquisição pode ter um caráter amigável,  sobretudo quando há um consenso entre os principais membros da empresa a ser vendida de que este é, realmente, o caminho a ser seguido. Entretanto, nem sempre essa operação ocorre de forma totalmente tranquila, principalmente quando há uma divergência de opiniões acerca da transação.

 

Fusões e aquisições: se parecem, mas não são iguais.

 

Antes de trazer as principais diferenças entre as fusões e aquisições, precisamos destacar um ponto em que elas estão num patamar de semelhança: ambas as transações estão em alta e vêm ganhando cada vez mais força no Brasil. Em 2021, por exemplo, as operações de M&A movimentaram mais de 300 bilhões de reais e ajudaram a construir o maior recorde dos últimos 10 anos.

 

Até mesmo por este contexto em que essas negociações se fazem ainda mais presentes no cotidiano empresarial do país, é preciso entender os aspectos que fazem com que uma fusão ou aquisição não seja, necessariamente, o mesmo, apesar da evidente interligação entre elas.

 

A característica mais dissonante já começa na forma como as transações são realizadas: enquanto na fusão há, praticamente, uma co-criação de uma nova empresa a partir da junção de duas outras, na aquisição uma organização passa a ter o controle de outra em mãos, após comprar a maioria das suas ações.

 

Vale ressaltar que, por norma, as fusões são mais propícias de acontecerem entre negócios pertencentes a segmentos semelhantes, como a união de duas indústrias do gênero alimentício, cujo portfólio de produtos de uma delas complementa a outra. Essa particularidade nem sempre está presente nas aquisições que podem ocorrer entre empresas completamente opostas.

 

Outra diferença está diretamente relacionada ao montante investido para a realização das negociações. Obviamente, a compra de outra companhia demanda um valor muito maior do que quando duas outras resolvem unir suas operações, algo que pode ser feito por um acordo envolvendo as cotas de participação societária. Portanto, uma aquisição tende a ser muito mais custosa que uma fusão. 

 

Apesar das aquisições ocorrerem com uma maior frequência, a viabilidade dos processos de fusão, somada ao seu custo-benefício, também não pode ser descartada pelas empresas que desejam aumentar suas participações no mercado ou trabalhar com novos produtos e serviços. 

Para ter a certeza de qual delas melhor se aplica ao seu projeto e à sua estratégia de crescimento, nada mais recomendado que buscar empresas com experiência em M&A para te auxiliar em cada etapa do processo e oferecer o suporte que você precisa que as transações apresentem o resultado desejado e seus objetivos sejam alcançados.



Veja outras notícias