Pular para o conteúdo

Como realizar a integração entre empresas após uma fusão ou aquisição?

22 de dezembro de 2022
Publicado por 3Capital Partners

Muito se fala sobre todos os fatores que envolvem uma operação de M&A, mas nem sempre a integração entre as duas empresas envolvidas na transação é abordada ou planejada de forma correta, o que faz com que muitas fusões ou aquisições terminem não tendo o resultado esperado, mesmo que cada etapa do processo tenha sido executada corretamente.

Se você é empresário e deseja adquirir ou fazer uma fusão com outra empresa, é preciso entender que tão importante quanto a operação de M&A em si, é a necessidade de planejar o pós-aquisição e garantir que as empresas envolvidas no negócio unifiquem seus propósitos e sigam um caminho harmônico. Neste artigo, trouxemos algumas informações que podem te ajudar. Acompanhe a leitura.

A integração começa com uma boa comunicação

Qualquer fusão ou aquisição vem carregada de expectativas para as pessoas que compõem as empresas participantes do negócio, principalmente os colaboradores da organização que foi adquirida.

Após uma operação de M&A, é comum que muitos desses profissionais sintam-se inseguros com os novos rumos e, até mesmo, temam que as mudanças organizacionais que estejam por vir afetem seus empregos, o que pode acabar alimentando tensões e criando um ambiente insustentável.

Por isso, o primeiro passo para que esse processo de integração ocorra sem qualquer contratempo é a transparência na comunicação, abordando com muita clareza cada passo que será dado dali em diante.

Novos objetivos, perspectivas futuras, modificações na cultura organizacional e, principalmente, os motivos que levaram a fusão ou aquisição a acontecerem devem ser comunicadas aos profissionais, para evitar que eles tirem conclusões próprias ou precipitadas.

Um ponto que não pode ser esquecido nessa estratégia de comunicação é um posicionamento oficial da empresa no que tange a uma nova configuração dos cargos, planos de carreira e possíveis desligamentos, o que costuma ocorrer quando empresas passam por uma operação de M&A.

Conheça as potencialidades e as lacunas da empresa adquirida

 

Ao realizar uma fusão ou aquisição com uma outra empresa, é imprescindível que a organização adquirente estabeleça um processo de imersão para conhecer todos os detalhes que envolvem o funcionamento do negócio que foi adquirido.

Qualquer estratégia ou plano de expansão só terá a robustez necessária caso se tenha um conhecimento amplo das operações da empresa, da sua situação financeira, da cultura organizacional vigente e da sua capacidade de crescimento.

Para a integração ocorrer de forma efetiva após a consolidação da operação de M&A, é necessário ter o entendimento claro de quais serão as mudanças trazidas pela junção entre as empresas e o que isso pode resultar de positivo ou negativo para o andamento das atividades.

Dentro desse Raio-X, também é indispensável que se levante todas as lacunas e falhas existentes na empresa adquirida, para que sejam trabalhadas a fim de que o processo de integração também traga melhorias nos processos existentes que possam gerar resultados positivos.

Trabalhe uma nova cultura organizacional

Mesmo que as empresas envolvidas em uma operação de M&A pertençam a segmentos próximos, é inevitável que cada uma delas possua culturas organizacionais próprias que poderão entrar em colisão após os dois negócios se transformarem em um só.

Por isso, um plano de integração entre duas empresas que passam por uma operação de M&A não pode deixar de contemplar a consolidação de uma nova cultura organizacional, mas de forma muito tranquila e gradativa para que as pessoas possam absorver as mudanças.

É importante que a implantação dessa nova linha de trabalho faça um ponto de intersecção entre as culturas organizacionais de cada empresa para que, a partir disso, se estabeleça um modelo em que todos os profissionais fiquem na mesma página e trabalhem dentro de um propósito em comum.

A integração deve ser feita ao lado dos colaboradores

Uma operação de fusão e aquisição não pode cometer o erro de desconsiderar o fator humano que faz uma organização pulsar. Inclusive, algumas das principais causas que levam ao fracasso de uma junção entre empresas possuem relação direta com conflitos entre pessoas e grupos de trabalho.

Primeiramente, deve-se entender que adquirir uma outra empresa é assumir o controle de um carro que já estava em movimento antes de você chegar, conduzido por pessoas que estavam acostumadas a fazê-lo andar de um determinado jeito.

Portanto, chegar querendo mudar todos os processos operacionais de uma vez pode ser um atalho para colocar tudo a perder e desestimular profissionais que podem assumir um papel importante para esse novo momento e até construir grandes carreiras após a fusão ou aquisição das empresas. Lembre-se: integração e imposição são duas palavras que não se dialogam.

Ambientar o colaborador a este novo momento é a forma mais acertada de torná-lo participativo em todo este processo de integração. Promover encontros, imersões, onboardings e, principalmente, estabelecer um diálogo construtivo acerca das possíveis mudanças, pode fazer do colaborador um dos seus principais aliados.

A importância da Due Dilligence na integração entre empresas.

 

Ao adquirir uma nova empresa, os gestores devem estar atentos a uma das etapas mais importantes em um processo de fusão e aquisição, que também terá um papel fundamental para que a integração ocorra sem ruídos: a due diligence.

Antes de se iniciar uma integração, é necessário que se conheça a fundo todos os aspectos inerentes à empresa que está sendo adquirida, e é uma due dilligence bem feita que vai permitir que seja feito um estudo aprofundado da situação da empresa, uma avaliação do funcionamento de cada setor, além de informações jurídicas e financeiras.

Elaborar um plano de integração sem estar munido de todas essas informações prévias aumenta as possibilidades da operação de M&A acabar não sendo bem sucedida, como acontece com muitas empresas que não dão a devida atenção ao pós-aquisição.

Do ponto de vista humano, a due dilligence também ajuda na criação de um ambiente onde a integração ocorra com o menor índice de contratempos possíveis entre os colaboradores da empresa. Além disso, também ajuda a identificar talentos, estabelecer metas de crescimento e ter uma visão detalhada de quais colaboradores podem ser melhor aproveitados após os negócios se unificarem.

Para uma due dilligence efetiva, é importante contar com o auxílio de uma empresa com experiência no mercado de M&A e que traga no seu portfólio diversas fusões e operações realizadas em diversas partes do mundo. A 3Capital reúne uma equipe com mais de 30 anos de atuação e está pronta para participar da expansão dos seus negócios.



Veja outras notícias