Pular para o conteúdo

Entendendo as fusões e aquisições de seguradoras

22 de março de 2023
Publicado por 3Capital Partners

Quando se fala de fusões e aquisições, o mercado de seguradoras vem se mostrando um dos mais promissores, principalmente se considerarmos os números de operações realizadas nos últimos três anos.

 

Para compreender as razões deste crescimento e conhecer algumas das principais transações ocorridas no setor de seguros recentemente, preparamos um artigo com um panorama completo. Continue a leitura!

Fusões e aquisições de seguradoras em números.

 

Falar de 2022 é mencionar um ano em que as fusões e aquisições no mercado de seguros deram um salto e alcançaram um número recorde, tendo em vista os últimos 10 anos. Considerando o cenário mundial, o setor registrou 449 operações de M&A, 31 a mais que no ano anterior.

 

Mas 2021 não ficou atrás em número de transações se fizermos um comparativo com 2020, pelo contrário, foi um dos períodos mais férteis em termos de negociações realizadas. Para se ter uma ideia mais precisa, somente no primeiro semestre, o crescimento de seguradoras que foram adquiridas ou se juntaram a outras empresas foi de 275%, segundo um levantamento feito pela KPMG à época.

 

Saindo de uma visão macro para estatísticas mais regionalizadas, as fusões e aquisições obtiveram uma maior prevalência nos continentes americanos, totalizando uma média de 236 operações em 2022. Quanto Ásia e África, ambos continentes registraram aumento nas negociações no ano passado – 22% e 41%, respectivamente. Já os países europeus, esses foram os que menos cresceram, com apenas duas transações a mais em relação a 2021.

 

Para 2023, há uma perspectiva de que essa área siga em ritmo crescente de modo geral, pelo menos é o que a Confederação Nacional das Seguradoras prevê, visualizando um crescimento estimado em 10%. Essa expectativa é fundamentada em uma visão sólida de que a economia passará por avanços – inclusive com aumento do PIB – e isso , consequentemente, trará um impacto positivo no setor de seguros.

Fatores que levaram ao crescimento das operações de M&A no setor de seguros

 

Basta observar ao redor para constatar que o mundo está passando por constantes transformações, especialmente com o aprimoramento dos recursos digitais e das mudanças nos hábitos de consumo, e isso traz desdobramentos em diversos mercados. Com as seguradoras não é diferente.

 

A necessidade de se adequar a essa nova perspectiva social ensejada pelas novas tecnologias é um dos motivos que aguçam a procura por oportunidades de fusões e aquisições por parte das empresas de seguro. Exemplo: uma seguradora pode identificar que chegou o momento de digitalizar seus serviços e, para isso, recorrer a uma fusão com uma startup especializada na criação de aplicativos.

 

O grande número de seguradoras existentes no Brasil – cerca de 54 mil – e a tendência de que esse mercado se mantenha aquecido ao longo dos anos, também é um chamariz para que o interesse de investidores no setor continue em alta.

 

A área de seguros também costuma reagir bem a cenários de dificuldade econômica e manter um ritmo de crescimento mesmo nos momentos em que outros mercados tendem a retrair. Essa característica, certamente, chama a atenção de empresas dispostas a ampliar seus investimentos.

 

A busca por um aumento da vantagem competitiva, a intensificação da concorrência e o desejo de expandir e diversificar o portfólio de serviços também são gatilhos que incentivam as operações de M&A entre as seguradoras. Vale ressaltar, ainda, o novo marco regulatório, que é considerado um divisor de águas e trouxe diversas inovações para o setor.

 

Principais fusões e aquisições do mercado de seguros

 

Em um mercado com um dinamismo próprio e com novas possibilidades de negócio a cada instante, as operações de M&A entre seguradoras estão sempre sinalizando negociações importantes que movimentam todo o setor.  

 

Quando voltamos o nosso olhar para as fusões e aquisições ocorridas no Brasil, por exemplo, podemos citar uma das maiores transações já registradas entre instituições da área de seguros, que se consolidou no primeiro semestre de 2022: a aquisição da SulAmérica pela Rede D’or, por um montante de cerca de 15 milhões de reais. 

 

Ao nível mundial, a compra da Willis Towers Watson pela AON por US$30 milhões foi responsável pela gestação de uma das companhias de seguros de maior dimensão global, fruto da união entre as duas empresas. 

 

No continente asiático, os investimentos também aconteceram a todo vapor, com destaque para a aquisição da MetLife Japan pela Nippon Life, cuja negociação movimentou um valor superior a 3 bilhões de dólares e trouxe uma nova configuração para o mercado de seguradoras do Japão. 

 

Passeando pelo setor de seguros de saúde para pets, também é possível mencionar uma importante operação  de M&A envolvendo a PetLove e a Health For Pet. 

 

Com base nas informações trazidas pelo artigo, podemos concluir uma coisa: as oportunidades para investir no ramo de seguradoras se constituem numa perspectiva real para empresas que desejam aumentar suas participações de mercado ou até mesmo expandir suas atuações para outros países. 

 

Contudo, um processo de fusões e aquisições, independente do setor, precisa passar por uma série de etapas que demandam o suporte de uma consultoria especializada para que os resultados sejam positivos. Empresas como a 3Capital, com profissionais  que somam mais de 30 anos de experiência e diversas transações no portfólio, são parceiras ideais para esses momentos. 



Veja outras notícias